Política - Concelhia da Guarda do PSD

“Tudo fazer para que o partido Social Democrata continue a dirigir os destinos do Município mesmo em próximos períodos eleitorais é um princípio orientador desta candidatura”, disse Júlio Santos na apresentação da candidatura da ‘Lista A’ à concelhia da Guarda do PSD. Para Júlio Santos o eixo estratégico da candidatura a que preside passa pela criação de “condições de estabilidade na governação do concelho e credibilizar a acção política”. A pensar nas próximas eleições autárquicas, Júlio Santos adiantou que “depois de largas e penosas décadas, finalmente o Partido é poder na Câmara da Guarda”, mas lembrou que “os momentos conturbados e de agitação política interna em nada contribuem para a consolidação do projecto social-democrata na Guarda”. Falou de “intenções pouco claras e obscuros interesses de terceiros” que podem vir a destruir “o capital político conseguido” através de um governo sombra na concelhia da Guarda. Explicou que “não pode haver um PSD concelhio que esteja contra o PSD que dirige os destinos da Guarda”. Júlio Santos apresentou-se como “garante de estabilidade politica, de harmonia e serenidade que o PPD/PSD da Guarda tanto precisa”. Disse que nunca “foi apaniguado de nenhum líder, tendo concordado e discordado com todos eles de acordo com as circunstâncias”. E acrescentou: “Todos sabem que não tenho atilhos políticos nem pauto as minhas decisões por directivas e conselhos telefónicos”.Ester Amorim, que integra a lista de Júlio Santos como candidata à Mesa do Plenário, referiu que “a Lista A é gente da Guarda e está vedada a pessoas que se intitulam como sendo donos disto tudo querendo mandar na Guarda mesmo à distância”. Lembrou que “nas últimas eleições autárquicas para a Câmara Municipal da Guarda foram eleitos cinco vereadores do PSD, actualmente apenas tem quatro, porque um passou a ser oposição do seu presidente e do seu próprio partido”. E acrescentou: “É esse vereador que agora se apresenta como candidato aos órgãos concelhios do PSD, tendo como slogan a união do Partido”. Sobre o candidato do PSD à Câmara da Guarda nas próximas eleições autárquicas, tanto Júlio Santos como Ester Amorim mostraram disponibilidade para aceitar as indicações vindas do PSD nacional. Em relação ao resultado das eleições deste sábado, 27 de Junho, para a concelhia do PSD Guarda, Júlio Santos, disse que desta vez é para ganhar. E explicou: “Sinto o pulsar dos militantes e da comunidade, sinto que não querem uma afronta à autarquia mas sim estabilidade”. Recorde-se que Júlio Santos também foi candidato às anteriores eleições para a concelhia do PSD Guarda, tendo perdido para Tiago Gonçalves. As eleições para a concelhia do PSD Guarda estão marcadas para este sábado, 27 de Junho, entre as 11.00 e as 19.00 horas, reunindo as condições de exercer o direito de voto 407 militantes.