Cimeira com ‘espírito da Guarda’

Este sábado, 10 de Outubro, se não acontecer nenhum imprevisto pelo caminho, a Guarda recebe a 31ª Cimeira Luso-Espanhola que será dedicada à cooperação transfronteiriça e à articulação de uma estratégia conjunta para a recuperação económica.O assunto parece pertinente e já vem fora de tempo. Há muito que as povoações, de um e outro lado da Fronteira, clamam por medidas positivas que ajudem a fixar, principalmente as gerações mais novas. Perante um cenário de despovoamento mais do que evidente, os Governos dos dois países ibéricos querem agora arregaçar as mangas e lançar as mãos ao tempo perdido. A tarefa não parece fácil, mas talvez ainda seja possível. Para isso tem de haver coragem e determinação e, quem sabe, fazer renascer o espírito da Guarda que ditou os bons resultados da cimeira de 12 de Fevereiro de 1976, que também aconteceu na Guarda. Nessa altura o Jornal A GUARDA escreveu que “a Guarda escolhida para palco deste encontro, após os acontecimentos que toldaram as relações luso-espanholas, situa-se assim no ponto de partida de uma nova era de convivência peninsular. Já se fala, e com toda a razão no espírito da Guarda”. E explica: “Afinal é desde há muito o espirito que domina as relações entre guardenses e espanhóis: espírito de concórdia e entendimento, de amizade, de compreensão mútua”. Fica o desejo de que o espírito da Guarda inspire os governantes de agora a encontrar caminhos de convergência tendo em vista o progresso e o desenvolvimento dos povos de um e outro lado da Fronteira. A diminuição do preço da água e da electricidade; a abolição das portagens na A23 e A25; a redução das tributações fiscais para a criação de novas empresas na região; incentivos à recuperação de património; redução do preço das propinas, etc… são algumas das medidas concretas que poderiam ajudar a inverter o actual ciclo de empobrecimento destes povos já por si tão isolados e abandonados. Numa região que do outro lado da fronteira já apelidaram de “terra vazia” é preciso voltar a alimentar este espírito da Guarda que conduza a novos e bons entendimentos.