No âmbito do Programa Revive

O Governo vai lançar um novo concurso para a concessão do antigo Hotel Turismo da Guarda, que está encerrado há vários anos e cujo primeiro contrato de concessão teve de ser revogado.O gabinete do ministro de Estado, da Economia e Transição Digital divulgou uma nota onde refere que “o imóvel será concessionado por 50 anos para exploração com fins turísticos, por uma renda mínima anual de 35.317,80 euros”.O espaço será colocado a concurso no âmbito do programa Revive e que o anúncio do concurso aguarda publicação em Diário da República. O comunicado explica que “em maio de 2018, foi assinado contrato de concessão para a recuperação e exploração deste imóvel pelo consórcio composto pelas sociedades MRG Property e MRG – Construction, mas o projecto não avançou, devido a dificuldades financeiras com que o grupo concessionário, entretanto, se defrontou”. Acrescenta que “o contrato foi revogado, sendo agora lançado novo concurso que pretende dar, finalmente, uma nova vida a este emblemático edifício da cidade da Guarda, projectado em 1936 pelo arquitecto Vasco Regaleira”.Os investidores interessados neste equipamento vão ter um prazo de 120 dias para apresentação de propostas que, além da recuperação do imóvel, promovam a sua valorização através da exploração turística e contribuam para atrair turistas para a região e para gerar novas dinâmicas na economia local.O Hotel Turismo da Guarda foi um dos 33 imóveis do lote inicial do programa Revive, uma iniciativa dos ministérios da Economia, da Cultura, das Finanças e da Defesa, que conta com a colaboração das autarquias locais e a coordenação do Turismo de Portugal e que pretende recuperar e valorizar património público devoluto e reforçar a atractividade dos destinos regionais.Em 2019 foi lançada a segunda edição do Revive, com a integração de 16 novos imóveis, e já em 2021 foram incluídos 3 novos imóveis de um terceiro lote que será anunciado até ao final do ano. O programa integra, actualmente, um total de 52 imóveis, 22 deles em territórios de baixa densidade, entre os quais o Quartel das Esquadras em Almeida e a Casa Grande em Pinhel.O Hotel de Turismo da Guarda é um edifício de porte majestoso, foi construído em 1936 por iniciativa municipal, com projecto do Arquitecto Vasco Regaleira, na sequência de um concurso público do “hotel modelo” para as várias regiões do país, lançado pelo então “Comissariado de Turismo”. O Hotel foi inaugurado em 1947 e mais tarde, em 1958, ampliado e classificado de 3 estrelas, ficando com um total de 2 suites e 101 quartos, apoiados por restaurante, bar, piscina e pequeno jardim. O edifício possui uma imagem regionalista baseada no modelo das “Casas Portuguesas”, defendido pelo Arquitecto Raúl Lino, e com orientações pessoais do Engenheiro Duarte Pacheco, então Ministro das Obras Públicas e Comunicação.