Território faz parte dos 161 Geoparks Mundiais distribuídos por 44 países

Estrela é, desde o dia 10 de Julho, oficialmente, Geopark Mundial da UNESCO, integrando a lista dos 161 Geoparks Mundiais distribuídos por 44 países em todo o Mundo.A candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial da UNESCO entregue, em Novembro de 2017, foi aprovada pelo Conselho Mundial de Geoparks em Setembro de 2019 e ratificada no dia 10 de Julho de 2020, por aquele organismo numa reunião do Conselho Executivo.A UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, refere numa nota publicada na sua página na internet que aprovou a designação de 15 novos Geoparques Globais na Europa, Ásia e América Latina, o que eleva a Rede Global de Geoparques “para 161 em 44 países”.Em Portugal, o Geo-park Estrela junta-se ao Açores UNESCO Global Geopark, ao Arouca UNESCO Global Geopark, ao Naturtejo da Meseta Meridional UNESCO Global Geopark e ao Terras de Cavaleiros UNESCO Global Geopark. O coordenador executivo da Associação Geo-park Estrela, Emanuel de Castro, considerou que a oficialização da classificação da Serra da Estrela como Geopark Mundial “é o culminar de um longo processo de valorização, conservação e promoção do património da Estrela e dos nove municípios que integram este novo Geopark Mundial da UNESCO, reconhecendo o valor intrínseco da sua geologia e da estratégia de desenvolvimento territorial implementada pela Associação Geopark Estrela”. A formalização da classificação “constitui um marco histórico para o território da Serra da Estrela. Este é o reconhecimento internacional que esta Montanha tanto merecia e que coloca a Estrela num patamar de relevância global”.A Associação Geopark Estrela apareceu para promover e realizar acções tendentes a um desenvolvimento socioeconómico, cultural e ambiental, sustentável e equilibrado dos municípios que asseguram uma identidade territorial da Serra da Estrela que incluem os municípios de Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia. Outro dos objectivos passa por gerir no seu território de intervenção a área classificada de Geopark Estrela Mundial da UNESCO, nomeadamente os seus geossítios e os espaços de interpretação nas áreas da ciência, educação, formação, tecnologia e/ou turismo, bem como conservar, promover e valorizar o seu património cultural, natural e geológico; promover um turismo sustentável.Para além do Geopark Estrela, a UNESCO também designou os Geoparks Cliffs of Fundi e Discovery (Canadá), Xiangxi e Zhangye (China), Lauhanvuori-Hämeenkangas (Finlândia), Toba Caldera (Indonésia), Rio Coco (Nicarágua), Hantangang (República da Coreia), Yangan-Tau (Rússia), Djerdap (Sérvia), Granada e Maestrazgo (Espanha), The Black Country (Reino Unido), Dak Nong (Vietname) e Kula-Salihli (Turquia).O Geopark Estrela tem 124 locais de interesse geológico inventariado e aprovados pela UNESCO.