Economia


A Feira Transfronteiriça ECORAIA - Beira Interior Norte - Salamanca, promovida pela Associação de Municípios da Cova da Beira (AMCB) e pela Diputación de Salamanca, vai passar a ser realizada na cidade espanhola de Salamanca. As entidades organizadoras anunciaram que o certame anual, que em anos anteriores tem sido realizado, de forma alternada, em Salamanca e em cidades da Beira Interior Norte (Pinhel e Trancoso), vai passar a ocorrer em Espanha.
José Manuel Biscaia, presidente da AMCB, disse na quinta-feira, dia 4 de Dezembro, na conferência de imprensa de apresentação do certame, realizada na sala de sessões da Câmara Municipal da Guarda, que o evento transfronteiriço “passará sempre a realizar-se em Salamanca, para que tenhamos capacidade de mostrar e de vender”. O autarca justificou a opção por as edições que ocorreram no distrito da Guarda terem sido visitadas por 3 a 4 mil pessoas, quando aquelas que foram realizadas em território espanhol, em Salamanca, atraírem entre 30 a 35 mil visitantes.
A V Feira Transfronteiriça ECORAIA, a realizar nos dias 13 e 14 de Dezembro, no Recinto de feiras de Salamanca, reunirá 101 expositores de produtos agro-alimentares da zona raiana de Portugal e de Espanha, sendo 59 nacionais e os restantes do país vizinho. No certame serão divulgados e comercializados vinhos, licores, azeites, mel, doçarias, pão, enchidos e frutos secos, entre outros produtos.
A Feira ECORAIA é realizada no âmbito do Projecto VIP BIN SAL II, programa de cooperação transfronteiriça entre Portugal e Espanha, financiado pelo POCTEP. A organização prevê gastar 140 mil euros com a sua realização, estando assegurada uma comparticipação de 75% por fundos europeus.
José Manuel Biscaia referiu que o certame transfronteiriço é uma forma de os produtores divulgarem os seus produtos, pois possibilita a abertura de “novas perspectivas aos agentes económicos locais”. O autarca disse ainda, que está em estudo a possibilidade de vir a ser criada uma “marca chapéu” para identificar todos os produtos da região transfronteiriça, que “poderá vir a ser agro-raia”. “É uma ideia que Salamanca abraçou e nós estamos a tentar sedimentar”, observou.
Na conferência de imprensa, José Prieto, representante da Diputación de Salamanca, disse que a organização da ECORAIA está a “aumentar o nível da feira de uma forma muito importante”. No entender do responsável, o certame anual tem possibilitado aos produtores “contactos com grandes consumidores e com profissionais especializados, com cadeias alimentares e com restaurantes de cadeias hoteleiras”.
Ao longo dos dois dias da feira, que tem entrada livre, haverá actividades lúdicas e de animação, e os visitantes poderão degustar vários produtos típicos da região da Beira Interior Norte de Portugal e da Província espanhola de Salamanca e ainda usufruir de várias actividades lúdicas. Além da exposição dos produtos regionais, haverá um magusto tipicamente português com castanhas e jeropiga da Serra da Malcata (Sabugal), bem como a actuação do Rancho Folclórico Flor do Campo de Souropires e do Grupo Trovas da Beira (Pinhel).