Televisão


O jornalista repórter Ismael Marcos e o jornalista redactor Jorge Esteves compõem a equipa permanente da Delegação da Guarda da Rádio e Televisão de Portugal (RTP). Os dois profissionais trabalham juntos nestas funções desde a criação da Delegação Comum, em Outubro de 2004. “A partir desta Delegação asseguramos a cobertura informativa da generalidade do distrito da Guarda e também do concelho de Belmonte, sem prejuízo de ser o nosso trabalho complementado por equipas vindas designadamente de Castelo Branco ou de Viseu e de nós próprios reforçarmos essas zonas, sempre que tal se justifique. Uma vez que no momento da criação da Delegação Comum da Guarda estava estabelecida a Área Metropolitana de Viseu como compreendendo também os Municípios de Seia, Gouveia e Aguiar da Beira, ficou definido que a cobertura dessas zonas seria em primeira instância garantida pela Delegação de Viseu da RTP, e reforçada por nós sempre que se justifique”, explicaram os responsáveis ao Jornal A Guarda.
O dia-a-dia de Jorge Esteves e de Ismael Marcos “é o de qualquer equipa jornalística que tem que ter as suas fontes de informação, a sua agenda e garantir a cobertura noticiosa de uma determinada área geográfica”. “Fazemos e recebemos contacto e solicitações de reportagens, e avançamos para o terreno sempre que se justifique voltando sempre que possível à Delegação para editar as reportagens e fazer o envio para serem emitidas nos serviços informativos dos canais RTP, tanto de Televisão como de Rádio”, explicaram. Quanto à forma como as pessoas da região costumam reagir ao trabalho da equipa da RTP, referiram: “Naturalmente que como em tudo, nas questões mais sensíveis ou menos da vontade de pessoas visadas nas notícias, a reacção poderá ser por vezes menos «afectuosa», mas na generalidade a equipa de reportagem é bem recebida, até porque, muitas vezes, a sua presença corresponde à solicitação dos promotores de eventos a cobrir ou de pessoas interessadas na divulgação do que se passa nas suas terras. No resto, acabamos por beneficiar ou se for o caso, de ser vítimas daquilo que é o jornalismo de proximidade, já que estamos sempre por aqui, a dar a cara pelo trabalho que realizamos”. A Equipa permanente da Delegação da Guarda da RTP reconhece, ainda, que a evolução tecnológica facilita “muito” o seu trabalho.