Projecto foi apresentado na Festa de Nossa Senhora da Alagoa, em Argomil


O actual perfil da estrada com cerca de três metros de largura que liga a EN 221 (Pêra do Moço - Guarda) e o Santuário da Senhora da Alagoa (Argomil – Pinhel) vai ser alargado para uma plataforma de cerca de sete metros e comtempla a construção de uma ecovia. A apresentação do projecto aconteceu ao final da manhã, do dia 8 de Setembro, no recinto da Capela, em plena festa da Senhora da Alagoa, na presença de largas centenas de pessoas.
O Presidente da Câmara Municipal da Guarda destacou o “espirito de solidariedade que deve existir entre os municípios”, neste caso da Guarda e Pinhel, sempre que está em causa o “bem das populações e dos seus habitantes”
Sérgio Costa explicou que “este trabalho, esta obra que a Câmara Municipal da Guarda vai levar a cabo até ao limite do concelho, desde a estrada Nacional 221, na freguesia de Pêra do Moço, deve ser também o espírito da solidariedade, porque Pinhel também precisa desta estrada tal como a Guarda precisa dela e de outras estradas de Pinhel”.
O autarca lembrou que a estrada era ambicionada há muito, “pelo anterior executivo da Freguesia de Pera do Moço, pelo Paulo Bernardo, pela Sandra Macedo, era reivindicada por toda esta boa gente”.
Sérgio Costa recordou que a concretização desta obra, constantemente adiada, tinha sido “um dos compromissos” de campanha. E acrescentou: “Aqui estamos, quase um ano depois, com o projecto praticamente concluído a anunciar que a obra vai ser feita”.
O autarca da Guarda acredita que, “daqui a um ano, ou mesmo antes”, vai ser possível chegar ao Santuário da Senhora da Alagoa e a outros lugares servidos por esta estada, “com mais rapidez e segurança”.
Já o presidente da Câmara Municipal de Pinhel reconheceu que este acesso “faz falta” e “há muito é desejado pelas pessoas de Argomil”. Rui Ventura explicou que “não sendo concelho de Pinhel, sendo do concelho da Guarda, mas serve essencialmente as pessoas de Argomil”, lembrando que “90% das pessoas de Argomil faz vida na Guarda”, sem esquecer os peregrinos que todos os anos se deslocam para participar na Festa da Senhora da Alagoa.
Rui Ventura adiantou que “em boa hora a Câmara da Guarda fez aquilo que é importante para os peregrinos, que é ter também uma fixa pedonal para as pessoas poderem percorrer esta estrada”. Perante o novo perfil apresentado pela Câmara da Guarda, considerou que “não faz sentido a Câmara de Pinhel não dar continuidade à ecovia”.
“Vamos tentar fazer a parte pedonal na parte de Pinhel para que os peregrinos tenham segurança até chegar ao Santuário da Senhora da Alagoa”, referiu Rui Ventura.
Horácio Brás, chefe de Divisão de Obras Públicas, Equipamentos e Infraestruturas da Câmara da Guarda explicou que “o que está previsto em projecto é o alargamento da plataforma de cerca de sete metros, subdivididos em duas componentes: a componente rodoviária, que terá uma largura de 5 metros e a componente da ecovia que terá 2 metros. A componente da ecovia vai beneficiar os modos suaves, bem como o acesso dos peregrinos ao Santuário da Senhora da Alagoa”. E acrescentou: “Estamos a privilegiar a segurança e a comodidade de todos nós”.
Para além do alargamento da plataforma haverá a melhoria da sinalização vertical e horizontal, bem como colocação de protecções laterais e execução de drenagens.
Simão Cabral, da Comissão de Festas de Nossa Senhora da Alagoa, disse que os investimentos realizados no Santuário têm sido “em prol dos peregrinos”. E acrescentou: “O investimento, tanto da Câmara de Pinhel como da Câmara da Guarda também é a pensar nos habitantes e nos peregrinos”. Prometeu que a Comissão continuará a trabalhar para garantir “melhores condições de apoio aos peregrinos da Senhora da Alagoa”.
O presidente da junta de freguesia de Pêra do Moço, Artur Lopes, considerou que obra de reabilitação da estrada entre a EN 221 Pera do Moço e o Santuário da Senhora da Alagoa “tinha sido pedida há muito tempo” e vai dar muito jeito às pessoas de Argomil, de Pera do Moço e das aldeias limítrofes.