Protocolo celebrado com a Câmara Municipal da Guarda

A Diocese da Guarda disponibilizou, através de protocolo de colaboração com a Câmara Municipal da Guarda, o Centro Apostólico D. João de Oliveira Matos, para acolher infectados do novo coronavírus.Através do protocolo de Colaboração, entre a Diocese e a Autarquia da Guarda, ambas as partes contribuem, cada uma a seu modo, para o mencionado fim.“Atendendo à vontade do Município da Guarda de dispor de uma bolsa de alojamentos para fins sociais e humanitários de urgência” e “estando disponíveis a maior parte dos alojamentos, dos serviços de cozinha, refeitório, bar e secção social” do edifício do Centro Apostólico, a Diocese da Guarda e a Câmara Municipal “acordaram em protocolar a utilização das instalações do edifício, para alojamento humanitário e social de urgência”.Em comunicado a Câmara Municipal adianta que “as condições e as contrapartidas da presente cedência traduzem, também, a colaboração da Diocese da Guarda, para o pretendido fim humanitário, ficando as despesas correntes inerentes à utilização e manutenção das instalações a cargo do Município da Guarda.”O Centro Apostólico “está preparado para receber doentes em recuperação” com coronavírus e tem capacidade para 80 pessoas, para “alojamento humanitário e social de urgência”.De forma solidária e gratuita, os terrenos da zona envolvente do Centro Apostólico desde há vários anos que estão ocupados por hortas comunitárias. No início a direcção do Centro disponibilizou terrenos a duas famílias e a pessoas necessitadas apoiadas pela Cáritas Diocesana e pela Paróquia da Sé, uma situação que, depois, foi alargada a outras pessoas.O Centro Apostólico D. João de Oliveira Matos foi inaugurado durante o Congresso Diocesano dos Leigos, que decorreu a 7 e 8 de Maio de 1988. O grande impulsionador desta obra foi o Padre Eugénio da Cunha Sério que, na altura, a apresentou como “uma grande Escola, para preparar os Leigos para as ingentes tarefas que lhe cabem na Igreja e no Mundo em nossos dias”.