Frei Miguel Grilo foi ordenado em Pínzio


Frei Miguel Pinto Grilo, da Ordem dos Missionários Capuchinhos, foi ordenado sacerdote no último sábado, dia 13 de Junho, em Pínzio, por D. Manuel Felício, Bispo da Guarda. A cerimónia juntou algumas centenas de pessoas que lotaram o Pavilhão Desportivo desta localidade do concelho de Pinhel. Um tapete de flores assinalava o caminho até ao lugar da celebração que também estava magnificamente adornado.
O povo de Pínzio preparou com grande entusiasmo uma cerimónia nunca antes vista na aldeia, associando-se à alegria da comunidade de missionários capuchinhos que garante o serviço religioso da paróquia, desde Novembro de 2014.
Sobre a ordenação em Pínzio, Frei Miguel disse que foi “vontade do Espírito Santo e do Provincial” e também da presença da Fraternidade dos Franciscanos Capuchinhos. E acrescentou: “Nunca pensei ser aqui ordenado sacerdote mas acredito que a celebração pode ser uma ajuda para a própria Diocese da Guarda na dinamização vocacional”.
Aos jovens deixa o apelo para não terem medo de se questionarem sobre o que é que Deus quer deles.
Nascido a 18 de Junho de 1984, faz hoje 31 anos, Frei Miguel estudava Gestão de Empresas na Universidade em Lisboa, quando decidiu mudar radicalmente de vida. Apesar do grande gosto que sempre teve pela Matemática sentiu, desde novo, que Deus o chamava para outra missão mas foi “adiando a decisão”. Depois de terminar o segundo ano do Curso de Gestão de Empresas acabou por ceder “ao chamamento de Deus” e começou por fazer “uma experiência de quatro meses numa Congregação italiana”. Em Janeiro de 2007 conheceu os Capuchinhos e alguns meses depois decidiu entrar na ordem por se identificar com o espírito de S. Francisco de Assis. Depois do Noviciado em Cabo Verde, fez a primeira Profissão Religiosa temporária a 23 de Agosto de 2009 e a profissão Perpétua a 4 de Maio de 2014. “Nesse dia passei a pertencer para toda a vida aos capuchinhos”, explicou. Seguiu-se a ordenação de Diácono, a 30 de Novembro de 2014, no Mosteiro dos Jerónimos e a ordenação Sacerdotal, no último Sábado, em Pínzio.
No dia 1 de Agosto vai para Roma, onde ficará dois anos, para estudar Espiritualidade Franciscana.
Frei Miguel Grilo é natural de Lisboa mas foi baptizado em Prados, freguesia de Freixedas, no concelho de Pinhel. “Os meus pais residiam em Odivelas e vieram baptizar-me em Prados, pois eles são naturais daqui”, explicou ao jornal A GUARDA.
Da aldeia do concelho de Pinhel recorda as férias passadas com os avós. “Desde pequeno que aqui vinha, principalmente no Natal, Páscoa e nas férias de Verão” recorda Frei Miguel. As visitas deixaram de ser tão frequentes na altura em que entrou para os Capuchinhos. Como a aldeia tem apenas 30/40 pessoas e são da família, conhece praticamente todas as pessoas.
No dia 12 de Julho, regressa à aldeia onde foi baptizado e que também o viu crescer, para celebrar Missa de acção de graças.
No final da celebração, Frei Miguel Grilo pediu a oração de todos “para que eu possa ser fiel e perseverante até ao fim nesta missão que Deus acaba de me dar”. Agradeceu “a Deus e a Maria Santíssima o enorme amor e confiança” que nele depositaram, estendendo o agradecimento a todos os presentes. “Na celebração de hoje não vejo apenas presente o meu sim, mas também o de todos vós, através das vossas inúmeras orações pelas vocações consagradas, sacerdotais e também missionárias”, referiu. E acrescentou: “Continuai a rezar pelas vocações consagradas, sacerdotais e missionárias, e também pelas vocações familiares, pois é das famílias que nascem as vocações…”.
E concluiu: “Não posso também deixar de agradecer a todos os que se esforçaram, de inúmeras maneiras, para que esta celebração fosse possível. Muito obrigado! Estais todos de parabéns pelo excelente trabalho. Aqui se vê como a generosidade e a doação de si mesmo são capazes de grandes feitos!”.