Trabalhos estão a ser feitos por uma empresa do Porto

Está em curso a conservação e restauro do painel de azulejos de Frei Pedro da Guarda, que se encontra no Largo Frei Pedro. Os trabalhos começaram no dia 15 de Julho e vão durar mais uma semana e também contemplam o arranjo e limpeza do muro que suporta o painel de azulejos. Trata-se de uma operação minuciosa que está a ser realizada pela empresa Lainho – Conservação e Restauro, do Porto. Esta empresa que se dedica à conservação e restauro de património, tem como lema “contribuir para que o nosso passado prevaleça no futuro”.Como o painel de azulejos está muito danificado, a primeira fase dos trabalhos implicou a injecção de uma massa tendo em vista a fixação de todas as peças que integram o painel. Posteriormente serão recuperados todos os azulejos de maneira a devolver-lhe o aspecto original.O painel de azulejos representa Frei Pedro da Guarda acompanhado por um cão, ostentando a inscrição “Frei Pedro da Guarda procura entre a neve os viandantes perdidos na Serra”. Na parte inferior volta a fazer referência Frei Pedro da Guarda acrescentando a data do nascimento (N. em 1435) e do falecimento (F. em 1505). Frei Pedro da Guarda, Franciscano, é originário da Guarda, e residiu desde 1485 no Convento de São Bernardino em Câmara de Lobos, onde faleceu a 27 de Julho de 1505, com fama de santidade. É de destacar o exemplo de vida daquele frade que, mesmo sem ser canonizado, foi considerado santo pelas populações locais. Já houve vários processos tendo em vista a sua beatificação que, contudo, ainda não foram concretizados.A memória de Frei Pedro da Guarda sempre esteve viva na população madeirense e em particular nas gentes de Câmara de Lobos e é muito considerada por todos os que estão unidos à espiritualidade franciscana, permitindo assim que essa memória não desapareça.Amplamente reconhecido e celebrado em Câmara de Lobos, na Guarda este frade Franciscano é, praticamente desconhecido. Para além do Largo e do painel de azulejos, também dá nome à Fundação Frei Pedro, criada em Fevereiro de 1989, pelo padre Virgílio Mendes Ardérius.