Câmara fez balanço do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas Comemorações do 10 de Junho foram “marco importante” para a Guarda O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, afirmou, na última reunião do Executivo Municipal, realizada na quinta-feira, dia 12 de Junho, que as comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, realizadas este ano na cidade, foram um “marco importante”. “A Guarda viveu por estes dias um momento estimulante para a vida colectiva dos seus cidadãos, sendo o centro das atenções, catapultando o seu bom nome além-fronteiras. Este foi um marco importante e inspirador para que toda a comunidade levantasse a sua auto-estima e renovasse a esperança num futuro melhor”, referiu o autarca aos jornalistas, no final da reunião do executivo. Álvaro Amaro referiu que, no período de Antes da Ordem do Dia da reunião, leu uma declaração onde também disse que se sente “muito orgulhoso e grato porque nestes dias em que celebrámos a nossa pátria a partir da Guarda, os guardenses, para além de manifestarem uma fortíssima adesão a todas as actividades, mostraram às mais altas entidades civis e militares que aqui se deslocaram, ao país, à diáspora e ao mundo, que são hospitaleiros, patenteando também uma maturidade cívica exemplar”. O autarca expressou ainda, em nome pessoal e do executivo a que preside, “um agradecimento profundo a todos os guardenses pela forma exemplar como souberam receber todos aqueles que vieram até à nossa cidade comemorar o 10 de Junho”. “Quero também de uma forma expressiva, agradecer publicamente a toos aqueles que estiveram envolvidos na organização deste dia tão importante para todos nós e para Portugal”, concluiu. O presidente também se mostrou honrado por ter sido condecorado pelo Presidente da República, Cavaco Silva, assim como Eduardo Lourenço, Madeira Grilo, Eduardo Lourenço e o Outeiro de S. Miguel. Pelo PS, o vereador José Igreja referiu aos jornalistas, no final dos trabalhos da reunião de Câmara, que “toda a gente concordou” que o 10 de Junho “foi um bom momento para a Guarda. O vereador desejou que “venha a dar frutos em termos de investimento” e de “um novo olhar dos políticos, a nível nacional, para com a região e para com o Interior” do país. O vereador socialista Joaquim Carreira também felicitou o executivo pela forma como decorreram as comemorações do Dia de Portugal: “A Guarda soube honrar o momento e isso foi muito importante para a cidade”. Disse que depois da festa, é preciso “olhar para o futuro” e pensar na resolução de problemas como o desemprego e a necessidade de captar investimento. O socialista sugeriu também que no próximo Dia da Cidade, 27 de Novembro, a Câmara preste homenagem à fábrica COFICAB “pela importância que tem para a região do ponto de vista do emprego”. Com a abstenção dos vereadores do PS Câmara aprova proposta de contracção de empréstimo de 12,9 milhões de euros A Câmara Municipal da Guarda aprovou na reunião do executivo da passada quinta-feira, dia 12 de Junho, por maioria, com a abstenção dos dois vereadores do PS, a proposta de contracção de um empréstimo de médio/longo prazo para saneamento financeiro municipal, no valor de 12,9 milhões de euros. O projecto de saneamento financeiro vai servir “para minimizar o problema da dívida financeira” da autarquia que herdou do anterior executivo socialista uma dívida global de 91 milhões de euros. “Queremos testar este modelo sem acesso ao Fundo de Apoio Municipal (FAM)”, criado pelo Governo para Câmaras em ruptura financeira, disse o autarca aos jornalistas, no final da reunião. Álvaro Amaro explicou que com o empréstimo, a realizar junto da banca, o executivo não pretende apenas uma reestruturação da dívida, mas também “injectar tesouraria, particularmente na economia local”. A Câmara irá apresentar a proposta na próxima reunião da Assembleia Municipal, a realizar no dia 30 de Junho, para que seja remetida ao Tribunal de Contas para obtenção do respectivo visto. “Eu tenho esperança que o mercado financeiro responda bem. Vamos testar o mercado e, se assim for, a Câmara vai aplicar um conjunto de medidas que porventura não serão tão duras quanto serão se for por acesso a uma Lei que vai ser aprovada”, assumiu. E acrescentou: “Só o aprovo (o empréstimo) se o mercado financeiro responder bem, se responder de uma maneira que não seja muito castigadora”. Os vereadores do PS abstiveram-se na votação do empréstimo bancário, “não pelas razões de não ser bom, mas pelas razões de o valor não estar justificado”, explicou José Igreja aos jornalistas, no final da reunião do Executivo Municipal. “O presidente e a maioria propõem um financiamento da ordem dos 13 milhões de euros e não temos um estudo que nos diga se é melhor oito se 15”, disse o vereador socialista, lembrando que durante a campanha eleitoral o PS defendeu que a dívida da autarquia “devia ser reestruturada”. No entender do PS, o recurso ao FAM “é uma salvaguarda, que o presidente pôs como hipótese”, mas José Igreja teme que o mesmo, com um valor global de 70 milhões de euros possa ser “algo pequeno” para ajudar todos os Municípios do país que estão endividados. Os dois vereadores do PS explicaram que na mesma reunião votaram contra a emissão de parecer prévio vinculativo para prestação de serviços de elaboração do plano de saneamento financeiro e assessoria estratégica no âmbito das finanças locais e gestão autárquica, por considerarem que a Câmara da Guarda “tem capacidade técnica para desenvolver esta actividade”, com a qual serão gastos “na ordem dos 250 mil euros, a 5 anos, com IVA incluído”. Guarda Câmara avança para a certificação do ar A Câmara Municipal da Guarda vai iniciar e finalizar, até ao final do ano, o estudo de monitorização do ar da Guarda, com o objectivo de proceder à certificação deste “grande recurso natural”, anunciou o autarca Álvaro Amaro. De acordo com o presidente da autarquia, será lançado um novo concurso para, com recurso a fundos comunitários, poder ser realizado o estudo que permita que a Guarda faça do ar “um cluster importante” para o concelho. A autarquia aprovou, na última reunião do executivo, a emissão de parecer prévio vinculativo para prestação de serviços de monitorização do ar. Guarda Lançado concurso para licenciamento de software A autarquia da Guarda também deliberou proceder à abertura de um concurso público internacional para o licenciamento do software para o Município. “Vamos ver agora o comportamento do mercado internacional, para ver se a resposta do mercado resolve de vez aquele problema que é uma pesada herança”, disse Álvaro Amaro aos jornalistas. “Entendeu-se ser esta a via mais adequada. Espero que se resolva por aqui”, disse o autarca. Recorde-se que pouco tempo após a tomada de posse, o novo executivo municipal foi notificado pela multinacional Microsoft ao pagamento de uma multa de mais de 336 mil euros, pelo alegado incumprimento contratual no registo e renovação das licenças dos computadores.