Política
Carlos Peixoto quer aumentar a intervenção cívica e política do PSD no distrito da Guarda

O novo presidente da Comissão Política Distrital (CPD) do PSD da Guarda, Carlos Peixoto, anunciou na tomada de posse do cargo, que pretende trabalhar para que o partido cresça em liderança, em militância, em intervenção cívica e política.
A cerimónia de tomada de posse decorreu na sexta-feira, dia 30 de Maio, no Paço da Cultura, na Guarda, com a presença de Marco António Costa, coordenador permanente da Comissão Política Nacional e porta-voz do PSD.
O novo dirigente distrital do PSD da Guarda, que ocupa o cargo até aqui desempenhado por Júlio Sarmento, ex-presidente da Câmara Municipal de Trancoso, deixou claro que a equipa que lidera irá “começar já a preparar as eleições autárquicas de 2017”. Assumiu ainda que o partido quer ganhar as eleições legislativas de 2015.
Carlos Peixoto anunciou a criação de cinco gabinetes no seio da CPD, que actuarão em cinco eixos “muito importantes” e cujos coordenadores já escolheu. Couto Paula vai coordenar o eixo do Emprego e do Crescimento; José Gomes coordenará o eixo das Acessibilidades e da Coesão Territorial; Júlio Sarmento vai liderar a coordenação do eixo Demografia e Autarquias; Marco Saldanha ficará responsável pelas Política de Juventude; e Fabíola Figueiredo vai coordenar o eixo da Saúde.
O novo dirigente distrital do PSD da Guarda disse que irá trabalhar “com todos os militantes” incluindo com Rui Ventura, o presidente da Câmara Municipal de Pinhel que perdeu as eleições com Carlos Peixoto. “Conto muito contigo para prosseguir nos objectivos que são do partido e que prossigas os teus como autarca de Pinhel. Quero que consolides a tua posição como presidente da Câmara de Pinhel e que possas ganhar as próximas eleições autárquicas”, disse Carlos Peixoto dirigindo-se de forma directa a Rui Ventura que se encontrava na sala a assistir à cerimónia de tomada de posse.
Na sessão usou também da palavra Álvaro Amaro, na qualidade de presidente dos Autarcas Social Democratas (ASD), para anunciar que a Guarda irá receber a primeira Academia do Poder Local dos ASD, a realizar, durante quatro dias, no último trimestre do ano. O autarca, que também é presidente da Câmara da Guarda, disse que o projecto arrancará na Guarda e ficará residente na Guarda. “Eu espero que seja a partir desta escola autárquica da Guarda, durante quatro dias, com bons mestres, que nós possamos dar bons exemplos, como demos em Setembro de 2013 ao ganharmos a Câmara Municipal da Guarda”. Álvaro Amaro disse ainda que tem esperança “total” em como Carlos Peixoto “venha a ser um grande líder distrital” do PSD.
Já o porta-voz do PSD, Marco António Costa, disse que o novo dirigente distrital do partido tem pela frente “um desafio importante”, reconhecendo que com a presença de Rui Ventura na sessão, a unidade do partido no distrito “está feita”.
No seu discurso, o dirigente acusou o PS de estar de “costas voltadas” para o interesse nacional e criticou o líder socialista, António José Seguro, por pedir eleições antecipadas. “Durante estes três anos, o sentido de responsabilidade e o sentido de respeito pelo interesse nacional do PS é estar sempre de costas voltadas para o interesse nacional e para o trabalho pelo país”, considerou. “A diferença é que nós não nos posicionamos face ao interesse nacional por tacticismos partidários. Nós posicionamo-nos colocando sempre em primeiro lugar o interesse do país”, disse.