A pensar nas infra-estruturas de apoio aos Passadiços do Mondego


A Câmara da Guarda está empenhada em conseguir financiamento para o milhão de euros que pretende investir nas infra estruturas de apoio aos Passadiços do Mondego que é necessário criar em Videmonte, ao funda aldeia dos Trinta, perto do açude novo, em Vila Soeiro e junto à Barragem do Caldeirão.
Esta nova empreitada, em fase de licenciamento, inclui casas de banho, zonas de descanso, pequenas zonas de armazenagem de alguns materiais, mais alguns pequenos troços de passadiços para ligações ao meio envolvente, bem como a melhoria radical dos caminhos de terra batida. Sérgio Costa disse que “tudo isso se irá aproximar de um milhão de euros”. E acrescentou: “No final teremos uns passadiços de 4 milhões de euros” que a autarquia quer ver financiados em 85% na totalidade.
Nos últimos seis meses foram executados 2 km em madeira, o que significa que nos últimos dois anos foram feitos apenas 5 km do total da obra. O presidente da autarquia considera que “é preciso recuperar esse atraso” e “virar a página do livro dos Passadiços” e, por isso, “vão abrir à população a partir do próximo Verão, com todas as condições provisórias, com todos os acessos provisórios mas com toda a segurança para que as pessoas possam disfrutar desta bela paisagem e colocarmos assim a Guarda no mapa da atractividade turística da nossa região e do nosso país”.
Sérgio Costa referiu que a autarquia está a trabalhar para “fortalecer a economia local”. Lembrou a necessidade “promover o potencial turístico do edificado, nomeadamente do que resta das várias fábricas têxteis existentes ao longo dos Passadiços do Mondego. “O turismo industrial, a arqueologia industrial que está cada vez mais em voga, são mais uns pontos de atracção, para que as pessoas nos possam visitar”, considerou.
Para Sérgio Costa “as pessoas destas aldeias, destas freguesias em volta dos Passadiços, estão cheias de vontade para receber as pessoas” e acredita que brevemente vão surgir investimentos “seja sob o ponto de vista do alojamento, seja sob o ponto de vista da restauração”.
O autarca considerou que os Passadiços do Mondego são “um projecto ancora não só para a Guarda, não só para o concelho, não é só pra o vale do Mondego, mas também para toda a região para todo o Geopark Estrela, para toda a Serra da Estrela