Protocolo foi assinado em Lisboa

O Centro Europeu de Competências para a Inovação Social, que vai ficar instalado na Guarda, será gerido numa parceria entre o IEFP, a Cooperativa António Sérgio e o Centro de Estudos Ibéricos da Guarda.O Presidente da Câmara da Guarda esteve presente na assinatura do protocolo que decorreu esta terça-feira, 11 de Janeiro, em Lisboa. Sérgio Costa considera importante que Centro de Estudos Ibéricos alargue a área de intervenção, também ao sector social, como está previsto nos estatutos. “O que estamos a fazer é a assinatura dos protocolos para que as entidades parceiras possam começar os trabalhos para arrancar com estes centros”, disse Ana Mendes Godinho, Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.“A ideia é que o centro de competências defina currículos e programas de capacitação de formação, investigação, de conhecimento, em torno do sector social, seja para desenvolver novas respostas, seja para desenvolver programas de formação para dirigentes, seja para desenvolver programas de formação para trabalhadores, que no fundo depois sejam disseminados por toda a rede IEFP - Instituto de Emprego e Formação Profissional”, explicou Ana Mendes Godinho.A criação do Centro Europeu de Competências para a Inovação Social integra o Plano de Acção para a Economia Social, apresentado pela Comissão Europeia depois das reuniões do Conselho dos Ministros do Emprego e Assuntos Sociais e do Comité Económico e Social Europeu que decorreram em Bruxelas.“Precisamos impulsionar a inovação social em toda a União Europeia e existe um amplo financiamento que pode ser utilizado e já foi utilizado para projectos interessantes de economia social”, disse o comissário europeu do Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit. O comissário adiantou que “a Comissão criará em 2022 um novo Centro Europeu de Competência para a Inovação Social” e revelou que a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal, Ana Mendes Godinho, lhe manifestou “o interesse na criação de um centro deste tipo”, tendo-lhe dado conta, também, da articulação existente com a homóloga espanhola, Yolanda Díaz.O Governo português vai localizar este futuro centro ibérico de formação para a economia social na cidade da Guarda, numa parceria entre a administração central e as autarquias, as instituições de ensino e o sector social.O Plano de Acção para a Economia Social pretende ajudar a economia social europeia a prosperar, tirando partido do seu potencial económico e de criação de postos de trabalho, bem como da sua contribuição para uma recuperação justa e inclusiva, e para as transições ecológica e digital.O Centro de Estudos Ibéricos nasceu da ideia do ensaísta Eduardo Lourenço na sessão solene comemorativa do Oitavo Centenário do Foral da Guarda, em 1999. Criado na sequência do Protocolo outorgado entre a Câmara Municipal da Guarda e as Universidades de Coimbra e de Salamanca, é uma associação sem fins lucrativos, de carácter permanente e natureza interdisciplinar e multidisciplinar que visa a promoção, divulgação e coordenação da reflexão, estudo, investigação e ensino de temas comuns e afins a Portugal e Espanha, com especial incidência na região transfronteiriça.