A Xara-Associação de Solidariedade Social e Desenvolvimento Local (Xara-ASSDLM) de Meimão, no concelho de Penamacor, vai promover, no dia 16 de Agosto, um espectáculo com o grupo Xutos e Pontapés

com o objectivo de reunir verbas para a conclusão do Lar de Idosos. A Xara-ASSDLM é uma instituição particular de solidariedade social que tem por objecto social, e primeiro, construir um Lar de terceira idade em Meimão. “É este o apoio por que anseiam tantos idosos existentes e quantos vêem aproximar-se uma idade problemática em termos de auto-suficiência, sentimento agravado pela perspectiva de muitos a enfrentarem no isolamento total das suas habitações”, refere a direcção presidida por Manuel Antunes Neto. E acrescenta: “Também a vasta comunidade de emigrantes, quer no estrangeiro, quer noutros pontos do país, tem manifestado grande empenho nesta obra, que vê como valioso contributo para a qualidade de vida que pretende aquando no seu regresso às origens. Também por muitos desta comunidade nos é referida a preferência de, a terem de recorrer a um Lar para os seus familiares, o fazerem relativamente a um que funcione no Meimão, terra natal e, como tal, factor de equilíbrio emocional do idoso”.
Este objectivo da direcção “é ainda a afirmação de um propósito que integra a luta nacional contra a desertificação do Interior, propondo-se como acção de efeitos a todos os prazos: equilíbrio urbano-rural e litoral-interior, como garantia de saúde social e económica em ambos os pólos, e instalação de agentes interactivos, com a consequente criação de condições de qualidade de vida em todos os sectores”. “São relevantes as condições de qualidade perspectivadas para o nosso Lar e seu funcionamento. O idoso é um complexo bio-psico-social de elementos interactivos de cujo equilíbrio resulta a sua saúde. Por isso, à prestação dos cuidados básicos na estrita observância dos parâmetros definidos legalmente, juntamos outros elementos de bem-estar, que resultam por um lado da excepcional localização do edifício e, por outro, da dinâmica que a associação Xara pode imprimir em todo o processo”, é também assinalado. Os dirigentes referem que, pelas características físicas e de espaço envolvente, o Lar pode “alargar-se” até ao Campo de Festas da freguesia através de um circuito pedonal ao longo da ribeira, podendo ser adaptado a exercício físico com base em estações ali instaladas. O terreno anexo permite a reserva de espaço para jardim e horta, cujo amanho faz parte, como sabemos, de receitas medicinais; nada obsta a que possa também instalar-se um pequeno espaço para artes e ofícios, com os consequentes benefícios para os praticantes, e que se criem condições para produção de artesanato; o edifício implanta-se no espaço que era ocupado pela antiga Casa Paroquial (que teve como último pároco residente o Padre José Miguel), isto é, em local cuja centralidade permite a fácil interacção com os restantes elementos da comunidade, podendo a associação desempenhar o seu importante papel de dinamização, com a implementação de actividades recreativas e culturais. “Estes factores de qualidade perspectivados, a que se podem ainda acrescentar outros, como, por exemplo, a exploração das potencialidades da Reserva da Serra da Malcata e da Barragem, contribuirão, por certo, para o tão almejado envelhecimento saudável e pró-activo do idoso”, segundo a direcção. “O nosso Lar está já em fase de construção, com a estrutura em betão a caminho do 1.º andar. Para o pormos de pé, não nos temos poupado a esforços no campo da angariação de fundos, que, na falta de apoios oficiais, se têm limitado exclusivamente ao contributo de particulares e da população do Meimão, que tem demonstrado uma abnegação e espírito de solidariedade admiráveis”, lembra a direcção da Xara-ASSDLM. E acrescenta: “Esse esforço, de mãos dadas com entusiasmo, levou-nos mesmo ao atrevimento de promover um espectáculo com os Xutos e Pontapés, agendado para o dia 16 do próximo mês de Agosto e integrado no Festival Solidário Franco-Ibérico a ter lugar na Zona Balnear de Meimão, nos dias 15, 16 e 17 do referido mês”. Para além dos Xutos estarão outras bandas, entre as quais uma francesa e duas espanholas. “É uma acção de risco, dados os elevados custos que comporta, mas de risco são as mais interessantes peripécias da vida, e esperamos que esta que decidimos viver resulte na hipótese de podermos acrescentar mais um andar à nossa construção. Assim a solidariedade das pessoas, com a sua adesão materializada na aquisição do título de acesso ao espectáculo, nos ajude”, conclui a direcção.