Cerimónia de entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2014


O professor de literatura, tradutor, crítico literário e escritor espanhol Antonio Sáez Delgado, de 44 anos, recebeu na quinta-feira, dia 3 de Julho, na Guarda, o Prémio Eduardo Lourenço 2014, atribuído pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI).
Após a cerimónia, que decorreu na Sala Tempo e Poesia da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, o galardoado disse ao Jornal A Guarda que recebeu o prémio com “grandíssima honra”. “É, de facto, uma grandíssima honra para mim, por um lado, porque é um prémio com um júri muito prestigiado e, sobretudo, porque é um prémio que tem o nome de Eduardo Lourenço, que é para mim o vulto mais importante do pensamento ibérico dos nossos dias”. O escritor espanhol distinguido com o Prémio no valor de 10 mil euros disse ainda que o galardão tem “um grande significado” e é também um “grandíssimo compromisso” para o seu trabalho no futuro.
Já durante a sua intervenção, teve uma palavra sincera de agradecimento” ao CEI e ao júri por terem confiado nele. “É um galardão que muitíssimo me honra”, disse, agradecendo a Eduardo Lourenço “tudo o que fez e por tudo o que faz pela cultura ibérica”.
Para o ensaísta Eduardo Lourenço, patrono do prémio e director honorífico do CEI, o galardão atribuído a Antonio Saéz Delgado é “mais que justo”. Na sua opinião, o galardoado é uma pessoa “de grande qualidade, não só de pensamento, de sensibilidade, mas também de ética”, e escreve com “uma grande simplicidade”. “Não foi corrompido pela corrida à glória, fala de coisas fundamentais, tem um sentido imenso do que é próximo, do que é autêntico, da terra e da família”, disse.
António Sáez Delgado é professor de Filologia Hispânica na Universidade de Évora, tendo-se destacado pela tradução de grandes vultos da cultura portuguesa contemporânea como Fernando Pessoa, António Lobo Antunes, Manuel António Pina, José Gil e Teixeira de Pascoaes, entre outros. Considerado o “especialista do Modernismo na Península Ibérica”, é “um investigador raiano que cruza fronteiras há mais de uma década”, assinala o CEI.
O júri decidiu atribuir o prémio a António Sáez Delgado pelo seu relevante papel no âmbito da cooperação e da cultura ibéricas, realçando as facetas de mediador cultural, escritor, investigador e professor, que o colocam na vanguarda deste campo da cultura.
O prémio anual com o nome do ensaísta Eduardo Lourenço, criado em 2004, destina-se a galardoar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cultura e da cooperação ibéricas.
Na sessão de entrega do Prémio, o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, referiu-se ao CEI como sendo “uma marca” de que gosta “particularmente” e deixou o desafio para que o Prémio Eduardo Lourenço evolua e admita também a  concurso “outro tipo de obras e de candidaturas que tenham a ver com o território transfronteiriço”.
Recorde-se que nas anteriores edições do galardão, foram distinguidas as seguintes personalidades de relevo de Portugal e Espanha: Maria Helena da Rocha Pereira, Professora Catedrática de Cultura Greco-Latina (2004), Agustín Remesal, Jornalista (2006), Maria João Pires, Pianista (2007), Ángel Campos Pámpano, Poeta (2008), Jorge Figueiredo Dias, Professor Catedrático de Direito Penal (2009) e César António Molina, Escritor (2010), Mia Couto, Escritor (2011), José María Martín Patino, Teólogo (2012) e Jerónimo Pizarro, professor de Literaturas Hispânicas (2013).