Política agrícola

Álvaro Amaro, responsável do Grupo do Partido Popular Europeu nas negociações com o Conselho o eurodeputado, declarou-se muito satisfeito com este desfecho, que trará segurança aos agricultores e a todo o sector agro-alimentar para os próximos dois anos, 2021 e 2022.Álvaro Amaro considera que “com este resultado, os agricultores terão finalmente a certeza de que esta legislação entra em vigor em Janeiro de 2021, e com o que poderão contar. Espero que assim o sector agro-alimentar possa ter mais estabilidade durante os próximos dois anos, depois de toda a incerteza criada pelo atraso na reforma da Política Agrícola.” Com esta decisão, nos próximos dois anos serão mantidas as atuais regras da PAC, com pequenas alterações que visam a melhoria da posição dos agricultores, como a redução da percentagem que permite o acesso a apoios ao abrigo dos mecanismos de gestão do risco, ou regras para melhorar e estabilizar o funcionamento do mercado comum no sector do azeite.  Haverá também práticas fiscais mais flexíveis para os agricultores que equilibrem as diferenças entre os bons e os maus anos.