Iniciativa partiu do Movimento Civil de Agricultores


O protesto dos agricultores, no dia 1 de Fevereiro, provocou o corte da circulação da A25 na zona de Alto de Leomil, nos dois sentidos. O trânsito nesta via foi interrompido por decisão das autoridades e desviado para as estradas nacionais.
O protesto teve início por volta das 6.15 horas juntando cerca de 700 agricultores e mais de 500 máquinas.
O bloqueio da A25 pelos agricultores, na zona do Alto de Leomil, no concelho de Almeida, provocou constrangimentos sobretudo à circulação dos camiões que pretendiam entrar ou sair de Portugal pela fronteira de Vilar Formoso.
O trânsito foi desviado para a EN 16 entre o nó de Pínzio, no concelho de Pinhel, e Vilar Formoso (Almeida).
No mesmo dia os agricultores paralisaram algumas vias de norte a sul do país, incluindo fronteiras, com alguns dos movimentos a começarem a desmobilizar à noite, depois te terem garantias sobre os apoios anunciados pelo Governo.
A Guarda Nacional Republicana deu conta do corte de um total de 15 estradas.
O protesto foi uma iniciativa do Movimento Civil de Agricultores com o objectivo de reclamar o direito à alimentação adequada, condições justas e a valorização da actividade.
Estas manifestações aconteceram depois de o Governo ter anunciado um pacote de mais de 400 milhões de euros, destinado a mitigar o impacto provocado pela seca e a reforçar o Plano Estratégico da Política Agrícola Comum (PEPAC).
O pacote abrange entre outras, medidas à produção, no valor de 200 milhões de euros, assegurando a cobertura das quebras de produção e a criação de uma linha de crédito de 50 milhões de euros, com taxa de juro zero.
Os protestos assumiram variadas formas, sendo uma iniciativa do Movimento Civil de Agricultores, que se apresenta como espontâneo e apartidário, no seguimento de outras manifestações em vários pontos da Europa.
Entretanto a Comissão Europeia disse que vai preparar com a presidência semestral belga do Conselho da UE uma proposta para a redução de encargos administrativos dos agricultores, que será debatida pelos ministros da Agricultura dos 27 Estados-membros do bloco europeu no próximo dia 26 de Fevereiro.
No início desta semana, na segunda-feira, 5 de Fevereiro, foi a vez dos agricultores espanhóis protestarem perto de Fuentes de Oñoro, Espanha, obrigando ao desvio do trânsito na entrada e saída de Portugal pela fronteira de Vilar Formoso.
Os agricultores espanhóis cortaram a circulação nos dois sentidos nas duas vias que unem os dois países, a autoestrada E-80 e a Nacional N-620, perto de Fuentes de Oñoro.
Os agricultores do País vizinho exigiam melhores condições, à semelhança do que tinha sucedido em Portugal.