Linha da Beira Alta

A CP – Comboios de Portugal vai suprimir três ligações do comboio intercidades na Linha da Beira Alta, duas no sentido Lisboa-Guarda e uma no sentido Guarda-Lisboa. A decisão motivou algum descontentamento e, tanto o CDS como o BE, já vieram a público questionar esta opção da CP.Numa pergunta dirigida ao Ministro das Infraestruturas e Habitação, os deputados do CDS João Pinho de Almeida e João Gonçalves Pereira querem saber a justificação para a supressão de ligações do intercidades na Linha da Beira Alta. Os deputados do CDS querem que o ministro confirme a supressão de três ligações do comboio intercidades da Linha da Beira Alta, duas no sentido Lisboa-Guarda e uma no sentido Guarda-Lisboa, e questionam se é verdade que a decisão foi tomada sem qualquer consulta prévia, ou sem ter sido dado conhecimento, às entidades locais e regionais.Pergunta depois se o ministro confirma que a supressão das referidas ligações é uma situação transitória, em resposta à emergência sanitária que atravessamos, e se a justificação para esta decisão é técnica, de saúde pública, ou outra, e em qualquer dos casos, qual é essa justificação. Finalmente, João Pinho de Almeida e João Gonçalves Pereira querem saber qual a previsão temporal, concreta ou, caso não seja possível, aproximada, para a reposição das ligações suprimidas.Os deputados do CDS consideram que “esta decisão é, lamentavelmente, mais uma de muitas que discrimina negativamente dois dos mais importantes distritos do Interior e da região Centro – Viseu e Guarda –, e num momento dos mais difíceis dos últimos anos, em que o país precisa de políticas activas de discriminação positiva em reforço da coesão territorial e não de políticas que cavem ainda mais o fosso entre Litoral e Interior”.Adiantam também que “a decisão foi tomada sem que as entidades locais e regionais fossem previamente informadas”.O Líder do Grupo Municipal do BE – Guarda, Marco Loureiro e o Coordenador Distrital da Guarda do BE, Bruno Andrade, também reagiram com preocupação à notícia de que a CP vai suprimir três ligações Intercidades na Linha da Beira Alta, duas no sentido Lisboa-Guarda e uma no sentido Guarda-Lisboa.“É para nós preocupante e condenamos desde logo esta decisão, sendo que iremos fazer chegar ao nosso Grupo Parlamentar na Assembleia da República o nosso descontentamento e a solicitação para que seja questionado o governo”, adiantam.Confrontada com esta decisão da CP Comboios de Portugal, a Ministra da Coesão Territorial afirmou que se trata de uma “situação transitória, em resposta à emergência sanitária que atravessamos”, mas não deu qualquer justificação técnica ou de saúde pública adicional e pormenorizada, nem tão pouco qualquer previsão temporal, concreta ou sequer aproximada, para a reposição das ligações suprimidas.