Ara descoberta na Torre de Almofala em exposição nos Paços do Concelho

Figueira de Castelo Rodrigo


A “Inscrição” descoberta na Torre de Almofala, designada como Ara, está em exposição na escadaria dos Paços do Concelho.
“Após longos anos na sombra, de canto para canto, entregue ao esquecimento, finalmente foi dada a oportunidade e o respeito que tal vestígio merece”, escreve António Ferreira, arqueólogo, natural de Figueira de Castelo Rodrigo, que também participou nesta descoberta.
De acordo com este arqueólogo “até às investigações levadas a cabo durante os anos 90, pouco se sabia sobre este sítio arqueológico. Embora se verifique no local a presença de uma estrutura de dimensões consideráveis, sabia-se que teria servido de torre de atalaia (torre de vigia) na idade média/moderna e tudo indicava ser de origem romana, no entanto, não se sabia ao certo qual a sua finalidade. Com a descoberta da Ara (Altar), tudo se alterou. Na referida Epigrafe pode ler-se a seguinte inscrição: IOVI… OPTVMO / MAXVMO / CIVITAS / COBELCORVM, que se pode traduzir como Júpiter Óptimo Máximo – a cidade dos Cobelcos. Este altar com cerca de 2000 anos e dedicado ao Deus Júpiter não só confirmou estarmos na presença de um templo romano como “afirmou” inequivocamente tratar-se de uma antiga Cidade Romana, sendo esta a capital administrativa e religiosa da época romana nesta região. Civitas Cobelcorum era o nome desta importante cidade, localizada naquele pequeno cabeço aplanado, junto à actual Barragem de Santa Maria de Aguiar”.
António Ferreira escreve ainda que “outro dos dados importantes nesta descoberta prende-se com o facto de a Ara fazer referência à cidade dos Cobelcos, um povo pré-romano que habitava esta região. A última prospecção arqueológica feita em 2004 no terreno envolvente à civitas, indicou a presença de vestígios arqueológicos numa área aproximada de 60 000m2”. Este arqueólogo considera que se trata de “um sítio arqueológico com uma dimensão considerável, de grande importância a nível nacional e que deveria ser estudado”. E acrescenta: “Os resultados das investigações realizadas em 2004 e posteriormente em 2008, ambas levadas a cabo por estudantes de Arqueologia da Universidade de Coimbra (equipa da qual fiz parte), indicam que existe também na região uma trama muito interessante de povoamento romano, provavelmente associado a esta cidade, não só na zona de Almofala mas também em Escarigo, Vermiosa e Vilar Torpim”. Estes estudos podem ser consultados na Biblioteca Municipal na Casa da Cultura.

Imprimir